Dia Internacional da Mulher divide opiniões na Câmara de Alagoinhas

Raimunda e Luciano Sérgio Raimunda e Roberto Torres

Única mulher na Câmara Municipal de Alagoinhas, a vereadora Raimunda Florêncio falou na tarde de hoje (8), dia dedicado às comemorações ao dia Internacional da Mulher, que a data não merece ser comemorada por uma série de fatores, dentre eles a ausência de atendimento médico e exames em setores fundamentais como Maternidade, postos de saúde, hospital.
“A mulher de Alagoinhas não tem motivos pra comemorar, pois não consegue fazer uma mamografia, e quando consegue é com oito, dez meses depois, período em que o câncer vai lhe corroendo, bem como uma ultrassonografia, uma cirurgia eletiva, nada”, desabafou a vereadora.
Ela disse também que a mulher atual é violentada, estuprada, assassinada, ignorada e morta, diante de uma sociedade que assiste a tudo e nada faz, disse a vereadora, que em anos anteriores promovia encontros, sessões solenes e audiências públicas na data, mas hoje preferiu o desabafo.
Na contramão do que a vereadora disse, mas reconhecendo as dificuldades enfrentadas pelas mulheres, o vereador Luciano Sérgio (PT), ofereceu um buquê de flores à vereadora Raimunda, solicitou ao presidente da Casa Roberto Torres que a vereadora assumisse simbolicamente a presidência da sessão, deu-lhe um abraço e desejou que mais mulheres pudessem representar o segmento feminino na Câmara Municipal nas próximas legislaturas.
Luciano Sérgio citou como exemplo uma brasileira que foi fazer uma palestra na Universidade de Sorbone, na França, e, ao chegar no aeroporto Internacional Charles de Gaulle, em Paris, viu sua foto estampada. Ele viu esse exemplo como um dos avanços da mulher no mercado de trabalho. “Ainda precisamos avançar muito para atingirmos o ideal, mas estamos avançando”, concluiu o vereador.
O vereador Djalma Santos (PRB) falou da família religiosa, tradicional e citou seu casamento de 40 anos como exemplo. Segundo ele a mulher moderna, aquela que sai pra trabalhar e deixa seus filhos com uma empregada, não deixa apenas uma lacuna na família, mas deixa a educação de seus filhos e a ordem de suas casas nas mãos de outras pessoas. O vereador Antônio Carlos, o Cabeça (PV), disse que com filhos desempregados, família sem saúde e mulheres desassistidas não há muito o que comemorar.
O vereador Roberto Torres, presidente da Câmara, falou da importância da data citando números e homenageando as servidoras da Casa. O vereador Jenser Souza foi mais detalhado, citou nome por nome todas as servidoras e contratadas da Câmara de Alagoinhas. Lenaldo Simões, José Cleto, Antônio Carlos Cabeça e Edilon Ramos também citaram o dia Internacional da Mulher.

FONTE: ASCOM CÂMARA

FOTOS: BIGU GÓES

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 + oito =

Ouvidoria

perm_phone_msg (75) 3318-3319
Horários de funcionamento. Segunda à quinta-feira: 08h às 13h, 14h às 17h. Sexta: 8h às 13h