Prefeitura de Alagoinhas tem menos de 70 dias para fechar suas contas

aud-camara audiencia-camara
O público lotou o plenário, as galerias e os corredores da Câmara Municipal de Alagoinhas na tarde de hoje (20), para saber a quantos andam as finanças da administração da cidade. Depois de mais de uma hora de espera, cinco secretários apostos, pouco mais de 40 minutos de apresentação, e servidores, prestadores de serviços e terceirizados deixaram o Legislativo sem saber os rumos das finanças do município e, em especial, como ficarão até o final do mandato.

Dos cinco secretários presentes –Educação, Saúde, SAAE e Planejamento-, apenas o secretário da Fazenda, Reginaldo Paiva, pincelou algumas coisas sobre a situação financeira, mas avisou que precisará de mais tempo, pelo menos 15 dias, para montar em slide como será o fechamento das contas e como ficarão os contratados e as empresas prestadoras de serviços.

Convocada pelo vereador Radiovaldo Costa (REDE), a apresentação das contas frustrou a quem foi à Câmara, pois esperava uma demonstração objetiva e clara sobre a real situação das contas do município. Segundo o secretário Reginaldo Paiva, o município não tem tanto atraso no pagamento dos prestadores de serviços no transporte escolar, e que recentemente fez um pagamento e o próximo tem apenas 9 dias de atraso, e que isso só ocorreu em função de um repasse do Governo Federal que normalmente é feito no dia 15 de cada mês e acabou sendo feito no último dia 5.

A pouco mais de 70 dias para encerrar a administração, os secretários ligados às finanças do município correm contra o tempo para entregar o município com suas contas zeradas, não perder créditos já conveniados como o de R$ 16 milhões para a obra do novo sistema de tratamento de esgoto do SAAE, em Narandiba, quadras poliesportivas, conclusão das duas UPAs dentre outros.

O secretário Reginaldo Paiva não negou que os salários vão continuar sendo pagos com atraso. “Se não houver um fato novo quanto aos repasses do Governo Federal, e acreditamos que não vai ter, vamos continuar pagando com atraso, mas a prioridade é o servidor, os colaboradores e os fornecedores”, disse o secretário, afirmando que até o repasse ao INSS deverá ser pago com atraso.

O vereador Luciano Sérgio (PT), cobrou o cumprimento da LRF – Lei de Responsabilidade Fiscal, onde, no artigo 42, reza que nenhum gestor deverá deixar débitos para o futuro gestor, sob pena de ser incluído como inadimplente, prejudicando o futuro da administração pública, bem como a si mesmo, tornando-se inelegível.

A próxima reunião, para a apresentação da situação financeira da Prefeitura de Alagoinhas, deve acontecer no início de novembro.

Ascom Câmara

Foto: Jorge 18

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

fale conosco